Compartilhe:

ALTERADAS AS REGRAS DAS ALÍQUOTAS INTERESTADUAIS NAS OPERAÇÕES A CONSUMIDOR FINAL



02/10/2015


Foi publicada no Diário Oficial do Estado de Minas Gerais de 02.10.2015, a Lei n.º 21.781/15 que altera as Leis n.ºs 6.763/75 que consolida a Legislação Tributária do Estado de Minas Gerais, Lei n.º 12.729/97 que alterou a Lei nº 6.763, de 26 de dezembro de 1975, que consolida a legislação tributária do Estado, Lei n.º 14.937/03 que dispõe sobre o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores - IPVA, e dá outras providências.

 

A norma em referência, dentre outras alterações, adequa à legislação tributária estadual em relação à Emenda Constitucional n.º 87/2015 e ao Convênio 93/2015 aprovado pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), que alteraram as normas jurídicas regulamentadoras do ICMS nas operações mercantis destinadas ao consumidor final, em que o remetente e o destinatário encontram-se em diferentes estados da Federação.

 

Estabelece que nos exercícios de 2016, 2017 e 2018, no caso de operações e prestações interestaduais que destinem mercadorias, bens ou serviços a consumidor final não contribuinte, o imposto correspondente à diferença entre a alíquota interna e a interestadual será partilhado entre os Estados de origem e de destino, cabendo ao Estado de Minas Gerais os percentuais abaixo:

 

I - quando o consumidor final da mercadoria, bem ou serviço se encontrar localizado em seu território:

 

a) no ano de 2016: 40% (quarenta por cento) do montante apurado;

b) no ano de 2017: 60% (sessenta por cento) do montante apurado;

c) no ano de 2018: 80% (oitenta por cento) do montante apurado;

II - quando o consumidor final da mercadoria, bem ou serviço se encontrar localizado em território de outro Estado:

 

a) no ano de 2016: 60% (sessenta por cento) do montante apurado;

b) no ano de 2017: 40% (quarenta por cento) do montante apurado;

c) no ano de 2018: 20% (vinte por cento) do montante apurado.

 

Ressaltamos que no caso previsto no inciso II, o imposto poderá ser compensado com o montante cobrado nas operações ou prestações anteriores, observadas as disposições regulamentares relativas à compensação do imposto.

 

Salientamos ainda que, com a mesma finalidade da norma em referência foi publicado na data de hoje o Decreto n.º 46.859/15, que revogou várias subalíneas do inciso I, artigo 42, da Parte Geral do RICMS/MG, alterando a alíquota do ICMS para aquelas operações internas de 12% para 18%, dentre elas destacamos:

 

→ máquinas, aparelhos e equipamentos industriais e máquinas, equipamentos e ferramentas agrícolas;

 

→ produtos da indústria de informática e automação;

 

→ fios têxteis, linhas para costurar e subprodutos da fiação, nas operações destinadas a contribuinte inscrito no Cadastro de Contribuintes do ICMS;

 

→ laje pré-fabricada, forma-lajes metálicas, pontes metálicas, elementos de pontes metálicas, pórticos metálicos e torres de transmissão metálicas.

A íntegra da Lei n.º 21.785/15, bem como, o Decreto n.º 46.859/15 voce encontra no sitio das SEF MG

FONTE FIEMG




As multas e penalidades ao não cumprimento do eSocial
Cadastro de Atividade Econômica da Pessoa Física (CAEPF).
RFB divulga instruções para emissão de Darf Avulso para não fechamento completo da folha eSocial
Dispensa de reconhecimento de firma e de autenticação de cópias é aprovada pelo Senado
CADASTRAMENTO DOS FUNDOS ESTADUAIS E MUNICIPAIS DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE


Mídia Marketing - 2012
Setor de Programação