Compartilhe:

ALTERADAS DISPOSIÇÕES NAS INSTRUÇÕES NORMATIVAS DA RFB QUE DISCIPLINAM A DCTF E A DSPJ INATIVA 2016



02/06/2016


Foi publicado no Diário Oficial da União - D.O.U, de 31 de maio de 2016, a Instrução Normativa RFB nº 1.646/2016, que altera a Instrução Normativa RFB nº 1.599, de 11 de dezembro de 2015, que dispõe sobre a Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF), e a Instrução Normativa RFB nº 1.605, de 22 de dezembro de 2015, que dispõe sobre a Declaração Simplificada da Pessoa Jurídica (DSPJ) - Inativa 2016. 

Dentre as alterações ora introduzidas, destacamos, em relação à DCTF, que: 

a) estão dispensadas da apresentação da DCTF as pessoas jurídicas e demais entidades relacionadas no art. 2º da Instrução Normativa RFB nº 1.599/2015, desde que estejam inativas ou não tenham débitos a declarar, a partir do 2º mês em que permanecerem nessa condição, observado o disposto na letra "b". Ressalta-se, todavia, que as pessoas jurídicas inativas voltarão à condição de obrigadas à entrega da DCTF, a partir do mês em que tiverem débitos a declarar; 

b) não estão dispensadas da apresentação da DCTF: 

b.1) as microempresas (ME) e as empresas de pequeno porte (EPP) enquadradas no Simples Nacional que estejam sujeitas ao pagamento da Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta (CPRB) nos termos dos incisos IV e VII do caput do art. 7º da Lei nº 12.546/2011, as quais deverão informar, na DCTF, os valores relativos à referida CPRB, bem como a impostos e contribuições, devidos na qualidade de contribuinte ou responsável, de que tratam os incisos I, V, VI, XI e XII do § 1º do art. 13 da Lei Complementar nº 123/2006. Salienta-se, porém, que as ME e as EPP deverão apresentar a DCTF somente em relação aos meses em que houver valores de CPRB a informar; 

b.2) as pessoas jurídicas e demais entidades de que trata a letra "a" que estejam inativas ou não tenham débitos a declarar:

b.2.1) em relação ao mês de ocorrência do evento, nos casos de extinção, incorporação, fusão e cisão parcial ou total;

b.2.2) em relação ao último mês de cada trimestre do ano-calendário, quando no trimestre anterior tenha sido informado que o pagamento do Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro (CSL) seria efetuado em quotas;

b.2.3) em relação ao mês de janeiro de cada ano-calendário, devendo ser observado que, na DCTF, as pessoas jurídicas e demais entidades de que trata a letra "a" poderão comunicar, se for o caso, a opção pelo regime de caixa ou de competência, segundo o qual as variações monetárias dos direitos de crédito e das obrigações do contribuinte, em função da taxa de câmbio, serão consideradas para efeito de determinação da base de cálculo do IRPJ, da CSL, da contribuição para o PIS-Pasep e da Cofins;

b.2.4) em relação ao mês subsequente ao da publicação da portaria ministerial que comunicar a oscilação da taxa de câmbio, na hipótese de alteração da opção pelo regime de competência para o regime de caixa, prevista no art. 5º da Instrução Normativa RFB nº 1.079/2010; 

c) não devem ser informados na DCTF os valores relativos ao IRRF incidente sobre rendimentos pagos pelos Estados, pelo Distrito Federal e pelos Municípios, bem como por suas autarquias e fundações, recolhidos pelos referidos entes e entidades nos códigos de receita 0561, 1889, 2063, 3533, 3540, 3562 e 5936. 

Importa ressaltar que, excepcionalmente, para o ano-calendário de 2016, ainda que a pessoa jurídica tenha apresentado a DSPJ - Inativa 2016 de que trata o caput do art. 1º da Instrução Normativa RFB nº 1.605/2015: 

a) na situação prevista na letra "b.2.3" supramencionada, as pessoas jurídicas e demais entidades que estejam inativas deverão apresentar a DCTF relativa ao mês de janeiro/2016; 

b) nas hipóteses previstas na letra "a" deste parágrafo e na letra "b.2.1", para as pessoas jurídicas e demais entidades que estejam inativas (e que tenham apresentado a DSPJ - Inativa 2016), é dispensada a obrigatoriedade de utilização do certificado digital para a apresentação da DCTF; e 

c) a DCTF deverá ser apresentada até o 15º dia útil do mês de julho/2016

No tocante à Instrução Normativa RFB nº 1.605/2015, que dispõe sobre a DSPJ - Inativa 2016 ficou estabelecido que as pessoas jurídicas inativas que forem extintas, cindidas parcialmente, cindidas totalmente, fusionadas ou incorporadas durante o ano-calendário de 2016 deverão informar a ocorrência desses eventos à RFB por meio da DCTF. 

FONTE: fiemg




As multas e penalidades ao não cumprimento do eSocial
Cadastro de Atividade Econômica da Pessoa Física (CAEPF).
RFB divulga instruções para emissão de Darf Avulso para não fechamento completo da folha eSocial
Dispensa de reconhecimento de firma e de autenticação de cópias é aprovada pelo Senado
CADASTRAMENTO DOS FUNDOS ESTADUAIS E MUNICIPAIS DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE


Mídia Marketing - 2012
Setor de Programação